nunojob:~ dscape/08$ echo The Black Sheep

Manifesto o meu total apoio ao apelo do Paulo Vilela.

Sei que somo ingénuos em pensar que pode surtir algum efeito mas hey, hei-de sempre ser ingénuo e acreditar que posso fazer a diferença. Deixo o meu apelo pessoal ao meus amigos que têm a mesma convicção que façam o mesmo.

Aos que dão as risadas do costume, lembro-vos de quantas vezes já fui a piada e quantas vezes me sai a rir. Deixem lá pensar,… O rapaz que queria ser campeão mundial de GP2, o rapaz que queria trabalhar em Sillicon Valley, o rapaz que disse que ia resolver o problema de Bolonha, etc. (Não se faz nada sozinho e em tudo isto precisei da ajuda de muito boa gente, e por isso sinto-me sempre obrigado a agradecer aos que tornaram isto possível.)

Como diriam os meus amigos da B&O:

Courage to constantly question the ordinary

É por isso que os dinamarqueses são um povo com uma mentalidade espectacular. E foi essa a mais importante lição que retirei de lá estar. Sempre fui, ao contrario da maioria do povo portugues, um rapaz ambicioso e certo de si mesmo. Nunca tive problemas em por a barra o mais alto que podia e saltar até passar por cima. E depois passar para a altura seguinte. Nisso eles não tinham muito a dar-me, apesar de também serem muito assim.

A lição foi: Não é só o que podes fazer por ti e pelos teus, mas também como podes melhorar a vida da comunidade em que estas inserido. O valor acrescentado que isso dará a tua vida vai ser surpreendentemente grande. E eu pude compravar por a + b o quanto a diferença é grande quando toda a gente está disposta a sacrificar as parolices do costume em prol de uma comunidade mais justa. E o quanto é melhor não haver crime, nem pedintes, nem degradação humana a cada esquina.

Exemplo: Lá os presidentes da câmara não tem motorista e um Mercedes. Alias é raríssimo quem tenha um Mercedes, devido ao imposto automóvel de 120%. E o facto dos impostos variarem entre 40% e 60% permite que a saúde seja grátis para todos e que não hajam propinas. Alias todos os alunos recebem algo como 600€ mês apenas por estudarem no ensino superior. 85% dos jovens ingressam no ensino superior.

Quando lhes contei que a ambição pessoal do nosso primeiro ministro era trabalhar na Europa e como ele manipulava as estatísticas para o conseguir (até dava exemplos mas é por demais evidente) a cara deles era um misto de surpresa e desprezo por um politico que sendo a principal figura do pais se preocupava mais com a sua carreira que com o desenvolvimento do mesmo.

Então uma pessoa muito importante que estava no jantar (não vou referir quem) contou-me sobre a única vez que trabalhou com Portugueses. Foi no âmbito de um projecto de investigação cientifica financiado pela União Europeia. A certa altura (e isto parece uma anedota) os Dinamarqueses, Holandeses, Italianos e Portugueses tiveram que fornecer a lista de despesas para receberem o financiamento (sendo que este tinha um limite). Os dinamarqueses e os holandeses entregaram algo semelhante apesar dos ordenados dos Dinamarqueses serem ligeiramente superiores. Os Italianos inflacionaram o valor para o dobro. Os portugueses atingiram o limite do financiamento tendo um ordenado base 6 vezes maior que o dos dinamarqueses. Inteligentes? Não minha opinião não. Oportunistas e palhaços, a denegrirem a imagem do pais. Acham que alguma destas pessoas estaria alguma vez interessado em voltar a fazer pesquisa, ou o que quer que fosse, com portugueses? Claro que não.

Mas os indivíduos ficaram cheios de dinheiro, porreiro pá!

Comments on: "Software português para o computador português" (4)

  1. Ulisses Costa said:

    Muito bem dito Job! Também acho ridícula essa ideia pequenina que temos de ser os chicos espertos em tudo. Em cada área lá está o chico espertismo a fazer merda.
    Ás vezes sem problema nenhum em fuder o próximo. Depois ainda dizem que isto é bom porque um gajo tem de ser desenrascado, que palermas!

    Ás vezes não me importava nada que fossemos espanhóis, com todos os problemas que isto acarreta.

  2. Só um pormenor que vi e que não pude deixar de comentar. Ainda no outro dia li um estudo que demonstra que os dinamarqueses são dos povos que são menos ambiciosos e mais modestos, ao contrário dos portugueses que são dos mais ambiciosos e com mais altas fasquias.
    O problema é que as frustrações também são altas e faz-nos (pelo menos à maioria) ter um sentimento de derrotismo e de negatividade.

  3. Dinamarqueses pouco ambiciosos, modestos???

    Devo ter estado numa dimensão paralela então. O comentário mais frequente entre os estudantes que estavam de visita era sobre a arrogância dos dinamarqueses (o que para mim é algo positivo).

  4. indeed

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: